Há mais de um mês, o presidente russo Vladimir Putin lançou uma invasão total ao país vizinho, a Ucrânia, que vem lutando bravamente desde então. Os sites de notícias relatam diariamente ataques indiscriminados e atrocidades cometidas contra civis pelo exército russo. Os invasores destruíram escolas, prédios residenciais, construções importantes para suprir as necessidades básicas dos ucranianos, e até mesmo hospitais e ambulâncias.

Principalmente por conta destes ataques a prédios ocupados por civis, governos do mundo inteiro estão acusando Vladimir Putin de ter cometido vários crimes de guerra. No final de março, o Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, declarou oficialmente que as tropas militares russas cometeram crimes na Ucrânia.

Assassinato de civis

Em seu pronunciamento, Blinken mencionou os ataques da Rússia a um hospital de maternidade em Mariupol. O prédio, que abrigava crianças e famílias foi atingido por um míssil que tinha a palavra russa “дети” (que significa ‘crianças’) gravada em letras garrafais. “As forças de Putin usaram as mesmas táticas em Grósnia, na Chechênia, e em Aleppo, na Síria, onde intensificaram os bombardeios de cidades para acabar com a determinação das pessoas”, afirmou Blinken.